sexta-feira, 25 de abril de 2008

Insone lucidez.

Todo dia eu me pergunto um milhão de coisas.

Até aquelas que eu já perguntei ontem e sei que vou continuar perguntando amanhã, mesmo sabendo que não vou conseguir responder.

E nos últimos dias, a pergunta que mais me aflige é “que diabos está acontecendo comigo?”

Vou ser mais honesto contigo.

Dizer mais sobre mim.

Sinto que preciso.

Sinto que, se acontecer alguma coisa comigo, eu preciso de um lugar que guarde, ainda que ínfima, uma parte da minha memória.

Se não fui claro, houve motivos.

Comecei a escrever essa página sob orientação médica e científica.

No começo pensei que realmente fosse me ajudar. Hoje, não sei.

Eu havia acabado de ler um livro. Um livro que me tocou como nunca. Um livro que tomou minha mente. E já não conseguia pensar em outra coisa.

Tentei escrever algo a respeito, mas desde que comecei esse blog, não tenho tido tempo para mais nada.

Comecei a escrever um livro.

Mas só consegui escrever 8 páginas, em papel A4, espaçamento duplo.

E para atrapalhar mais ainda, ainda tinha o Jogo.

Mas o pior de tudo eram os sonhos.

Os sonhos pioraram cada vez mais.

E hoje estão insuportáveis. Já faz um tempo absurdo que não consigo dormir. Tenho sonhos acordado que não sei se são sonhos, pois estou cansado demais para perceber.

Vejo mendigos por todos os lados. Sorriem para mim.

E tem aquela moça.

Que aparece sorrindo.

E cujo rosto, eu nunca antes havia visto.

Ela parece um anjo.

Mas não diz nada.

Apenas olha para mim.

E sorri.

E hipnotiza-me.

E cá vou eu, intrometer-me em meio aos meus lençóis mesmo sabendo que o sono nunca virá, e se vier, será pior.

Mas o que me conforta é saber que está acabando.

Boa noite.

4 comentários:

Srta. Morrison disse...

Estou emocionada com suas palavras. Incrível como suas históris me prendem me prendem!
Só fiquei com a impressão, no final do post, de que você estaria se despedindo. Oxalá que eu esteja redondamente enganada.
Amplexos,

lestat disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rêver disse...

O que acontece com você parece ser o mesmo que acontece comigo. Apenas acho que pertencemos a lados opostos.

Srta. Morrison disse...

Hoje você não sonhou?
Ou, como eu, sonhou e esqueceu?
Conte-me seus sonhos... Eles me fazem tão bem! Sonho acordada. E choro, também. Choro copiosamente, porque consegues tocar o meu coração. Parece que leio a minha história. Ao ler cada trecho, vejo o filme de minha vida, passar diante dos meus olhos.
Saudades de você. Saudades dos teus pensamentos.