sábado, 19 de abril de 2008

Uma resposta.

Beatriz Vernitz um dia me perguntou

“Se existisse alguém SUPERIOR, você acha que ele teria feito um livro?


E porque ele surgiu assim do nada??

E os povos anteriores ao surgimento do livro?


A Biblia é só mais um livro de ficção que deu certo...

A diferença é que todo mundo passou a acreditar nele!”

Eu respondi:

“Se você procurar bem verá inconsistências em todo o tipo de conhecimento humano.


Além disso, o que faz as pessoas passarem a acreditar em algo? Para alguns, qualquer coisa. Para outros, quase nada. Para a maioria, tanto faz.”

Então conheci Rebeca Werner, que me disse que “Era importante acreditar em algo” e que “Você merece aquilo que você acredita”.

No começo eu confundi as duas, pensando que uma era uma e uma era a outra, mas desfeita a confusão, vai aqui minha resposta para Rebeca Werner. Pelo menos o começo dela.

OK, Rebeca. Eu acredito no mundo das idéias. Eu acredito no mundo das minhas idéias. Eu acredito que existe um universo dentro da minha mente. O que existe fora da minha mente?

Sensações.

Percepções limitadas por apenas cinco sentidos. E meus sentidos são fracos. Extremamente limitados. Enxergo pior que muitos insetos. Meu olfato é uma vergonha para os mamíferos.

E pior. Sou controlado por minhas sensações. Elas tomam conta de mim. Procrie, brigue, mate, roube, ame e tome.

Exatamente como faziam meus ancestrais.

E hormônios. E transtornos obsessivos e compulsivos. E vícios. E depressões.

Tudo isto representa o controle que o mundo natural tem sobre mim. O mundo das minhas idéias é bem diferente.

Eu não sou aquilo que você acha que eu sou.

Mas você é aquilo que eu acho que você é.

Você é aquilo que alguém que não te conhece acha que é.

Você não é só o que você pensa.

Nem o que eu, ou qualquer outra pessoa possa pensar.

Como vê, eu acredito em algo.

E isto é o começo.

E tem a ver com o Livro que eu li.

E não é esse livro que seu amigo disse que escreveu.

Por que esse livro também não foi escrito por ele.

E tem a ver com um jogo que existe por aí.

2 comentários:

Paule disse...

Deus, é nos preciso haver um Deus criador?

Não, lógico. Temos nosso raciocínio, nossa razão, não precisamos de um ser supremo criador. Pelo menos eu, pois sei que existo. A razão não chega a ponto nenhum, pois nossa consiencia é infinita, sempre haverá um "por que?", mas ela é poderosa, pois, pode chegar à muita conclusão sobre a nossa existência.
E se há um Deus? Ele é ruim, indiferente de que todos crentes dizem.
Por que ele nos criou?
Com que finalidade?
Para deixarmos em cima do muro, e não comer o fruto proibido?
Fruto proibido, que imperialismo!
A raça humana (caso a bíblia for verídica, caso a história de Deus for verdade) começou da revolta, se não tivesse comido a fruta proibída, não seriamos humanos, seriamos o que? Uns sofredores até hoje?
Por que isso, "bom" Deus?
Não creio e Deus, no Satanás, em algum ser supremo criador, às vezes nem em você que está lendo.

SHAKAL disse...

Discordo da opinião da bíblia ser um livro de ficção, e ainda mais discordo do fato dela provar a existência de Deus caso esteja certa. Os antropólogos, arqueólogos e doutores da Ciência da Religião pesquisam a veracidade dos fatos bíblicos, e há provas verídicas de que existiram 4 rios no paraíso, sendo dois localizados no Iraque e os outros dois sobre o mar hoje em dia, após a água ter engolido parte da terra e após ter acontecido algumas "erosões" naturais devido ao desgaste do solo com a água. Com isso não quero tentar provar que os fatos da bíblia, existência de Deus, anjos, Eva e etc sejam reais (não sou religioso) porque uma parte da bíblia estava certa, mas sim observar que há por trás de tudo isso uma explicação lógica pra tudo, assim como há explicação para se ter um conhecimento certo em grande parte mas não 100% das histórias transmitidas oralmente até serem escritas em livros dito cujos "sagrados". O que não deixa de ser sagrado para o povo que crê em tais relatos. Então não há como dizer que a bíblia fundada em ALGUNS pontos de verdade e outros fundada em metáforas ser livro de ficção que deu certo! Possui ensinamentos - parábolas - que sendo Verdades ou não ensinam uma moral, uma ética, uma filosofia de vida alternativa... ao que podia ser criada aquela época e até hoje podem ser criadas filosofias de vidas alternativas às que estão em vigor hoje em dia. Trata a bília como se fosse sandice... que maluquice!